Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


As 50 sombras de Ferreira Fernandes

por João Miguel Tavares, em 02.12.14

Depois de na sexta-feira eu ter sido classificado como "pedaço de asno" por Ferreira Fernandes, hoje procuro deitar o venerável cronista do DN no divã. Para ler aqui.

Crónica.jpeg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


10 comentários

Sem imagem de perfil

De mcarmomarcos a 05.12.2014 às 01:16

Mais que um pedaço de asno, é o verdadeiro idiota de serviço.
Imagem de perfil

De Padrinhos Civis a 03.12.2014 às 18:39

Primeiro vou fazer a minha declaração de (des)interesses: não tenho partido, não tenho especial simpatia/antipatia por nenhum político, gosto de JMT e FF.

JMT, porque persiste nesta senda? Se não associa FF ao domínio do controlo angolano do seu jornal, então porquê sequer mencioná-lo? Que feio.

O que é que afinal JMT sabe que nós não sabemos: investigou? Chegaram-lhe às mãos provas? Se sim, conte-nos tudo, como bom jornalista que é. Se não, pare de mandar bitaites, por favor. Opine, mas com fundamentos sérios. E se não tiver fundamentos sérios, cale-se na praça pública e vá para o café ou para o táxi.

Se a justiça prendeu preventivamente este homem, e até já recusou provimento a um habbeas corpus, lá terá as suas razões - a tanto podemos chegar. Mas se não sabemos mais nada, vir com argumentos quantitativos é fraco - fraquinho mesmo.

Vai de mal a pior. Espero que pare rápido com esta senda e que passe a comentar quando tiver algo de mais concreto para nos fazer pensar que não - "oh, estava-se mesmo a ver, eu bem avisei, com todas as suspeitas em cima dele, eu sabia!" Espreme-se e não deita nada!

Amuei de vez consigo. Ainda por cima vai deixar de escrever com regularidade no PD4 porque não está a ser devidamente compensado: ok, percebo que esteja muito ocupado profissionalmente e com a família para se dedicar a serviço público, mas dói para quem gostava tanto dos debates sentir assim um cheirinho a mercenarismo (eu sei que não vive do ar).

Imagem de perfil

De FP1980 a 03.12.2014 às 09:58

Tem sido surpreendente verificar o efeito que a prisão do Sócrates tem na mente de diversos comentadores \ jornalistas...

Eu sei muito bem que a presunção da inocência pouco vale para os pseudo-jornalistas deste país, mas, apesar disso, não alinho em teses de cabalas nem me parece que a detenção de um ex-primeiro-ministro ponha em causa o nosso sistema político... desde que não aconteça o mesmo que ao Paulo Pedroso (esteve vários meses detido e depois nem acusado foi)...

Quanto ao resto e apesar de seguir regularmente as crónicas do JMT, acho que esta não passa de uma resposta resabiada...

A última afirmação de que o FF esteve 7 anos com palas nos olhos irrita-me particularmente por 2 motivos:

- Neste caso o julgamento político dos governos Sócrates já foi feito pelos portugueses.. Misturar isso nesta fase do processo demonstra o resabiamento (como se diz no Norte..) do JMT;

- A direita tem sido perita em procurar reescrever a história de portugal desde 1986, com a premissa que os governos PSD ou PSD/CDS governavam bem e depois vieram os governos PS destruir tudo... Não escamoteando as responsabilidades do governo Sócrates na situação em que se encontra o país, convinha também fazerem uma análise séria dos seus mandatos (Convém não esquecer que foi precedido pelo Durão Barroso / Santana Lopes - dois ases da política, sendo irónico)....
Sem imagem de perfil

De Andrew Moke a 03.12.2014 às 07:29

Joao e' um excelente texto de blog.

Nao me cabe a mim julgar, mas se eu fosse quem lhe paga no público não autorizava este texto. Como qualquer outro cronista, julgo que são pagos para escrever a vossa opinião sobre determinados assuntos, com valor para o debate social. Este texto em nada acrescenta ao debate - trata-se apenas de pura retaliação, fundada ou infundada, não me interessa. Esperava do João maior integridade profissional e respeito por quem lhe paga e lê. Numa sociedade tão fragmentada como a nossa destaca-se quem é imune a este tipo de quezílias e faz o seu trabalho sem desperdiçar recursos.

Para que conste, estou tão feliz com a prisão do Socrates como o João e nem sei quem é o FF.
Sem imagem de perfil

De Eu a 03.12.2014 às 03:53

Não interessará para o caso, mas nunca votei em JS nem creio que algum dia venha a votar sequer PS. Mas há regras, que quem assina como "Jornalista", deveria usar outro subtítulo ou colocar aspas, muitas aspas, para não envergonhar a profissão.

Aparte os argumentos ou insultos, conforme o ponto de vista, a crónica "assombrada" dá bem conta de uma escrita pobre, a que lhe falta a escola e a densidade de FF.
Mas eu não não utilizaria figuras de fábulas, por respeito aos originais, mas que quando li o anterior juízo prévio de praça pública, com dispensa de provas, me pareceu mais estar ante um puto mimado a quem tiram uma chupeta e arma uma berreira injustificada.
Imagem de perfil

De CesarLopes21 a 02.12.2014 às 17:12

E quando sairá as 50 sombras de JMT? O mesmo que afirmou no "Governo Sombra" que embora não tenha visto Sócrates a meter as mãos na massa, não lhe dá a presunção de inocência. Não leio as merdas que escreves, é demasiada "assessoria de informação virada à direita". Mas, calma, não fiques triste. Eu também não me acredito na inocência de Sócrates. Como não me acredito na inocência de "Aníbal" no caso BPN, como não me acredito na inocência de Passos, em variados casos, entre os quais as eleições internas do PSD, a Tecnoforma, entre outros mais escondidos por tantos outros "assessores de informação" como o JMT! Também não me acredito na inocência de Portas, no caso dos submarinos, visto que na Alemanha houve quem fosse julgado... Mas claro, eu ainda acredito que um "Carlos Alexandre" escondido e sem medo me dê a oportunidade de ver muitos mais presos. Mas até lá, são todos inocentes até prova em contrário!
Sem imagem de perfil

De António Maria a 02.12.2014 às 14:27

JMT e todos os outros comentadores e jornalistas que ousam remar contra a maré defensora do 44, têm todo o direito de acreditar na culpa do "gajo" como as Claras (galinhas carecas) os Adões e os Tavares de acreditarem que ele é um santo.
Ainda não vi nenhum defender os outros 3 arguidos.
Ainda não ouvi TEIXATIVAMENTE afirmações de inocência da alimária.
Sem imagem de perfil

De António Maria a 03.12.2014 às 15:48

TEIXATIVAMENTE em vez de TAXATIVAMENTE ???????
Nunca mais escrevo "posts" depois do almoço........
Sem imagem de perfil

De Pedro a 02.12.2014 às 12:43

O Ferreira Fernandes andou com uma pala nos olhos, mas o João Miguel Tavares, não, obviamente. Então, diga o que sabe. Eu acho que o JMT não está obrigado a guardar silêncio pelo segredo de justiça, era o que faltava.
Sem imagem de perfil

De Elói Gouveia a 02.12.2014 às 12:32

Boa tarde João Miguel Tavares. Belo pedaço de texto. Nem sempre sou apreciador das suas ideias o que não faz com que respeite menos as suas crónicas. Pelo contrário, valorizo-as .A ausência das suas crónicas seria como a sua ausência do governo sombra, ainda que eu esteja , por norma, no outro lado da " barricada" .

Deixo-lhe aqui a minha visão sobre o "Sócrates Gate " :

O dia em que todos nos especializamos:

Há dois tipos de comentadores, os com assento mediático e os outros. Os segundos arregimentam-se inevitavelmente entre as fileiras dos primeiros.
Ambos vão de encontro às suas convicções que, necessariamente, foram preconcebidas .Assim, o comentário é como a pescada: antes de o ser já o era.
Este é um tempo de escrutínio, de beatização da sociedade. Nesta crítica de gatilho fácil é impossível fugir do maniqueísmo, de um novo maniqueísmo. Ou estamos do lado certo ou do lado errado, invariavelmente.
Além dos comentadores e dos comentadores dos comentadores temos ainda os comentadeiros que são aqueles cuja opinião vai além do preconcebido , é telecomandada. Neste país à beira mar plantado, já todos nos conhecemos desde o longínquo ano de 1143.
E que maus seriamos se, desde então, não nos relacionássemos.
Vamos , todos, conhecidos de longa data “perfilados de medo combatendo irónicos fantasmas à procura do que não fomos, do que não seremos.”

Também eu , o jurista que nunca o quis ser, gostaria de possuir a derradeira alocução sobre o caso Sócrates. E aqui , como em quase tudo na vida, ou estou do lado certo ou errado.
Estará o leitor farto ,como eu estou, do já habitual e hipócrita “ separar a politica da justiça” . Em abstrato isso é tão plausível como comer um ovo estrelado com um palito.
Na justiça, impera o 4º poder . Ponto ,e aqui ponto mesmo. O 4º poder sofre de esquizofrenia sendo no entanto um justiceiro. Estes xerifes dos tempos modernos fazem os jornalistas a sério dar voltas no tumulo, mas isso de pouco importa.

A linha que separa o formal do material esbateu-se e é , qual aramaico, uma língua que ninguém fala.

“Só sei que nada sei” disse Sócrates, o “ outro” nos tempos que correm.
Eu, opinadeiro, só sei ou acho saber que no fim de toda esta verborreia mediática nem uma condenação nova se fará. A minha e a vossa convicção já estão formadas. Culpados?

Comentar post




Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Para ler o jornalista a falar da família



Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D




Favoritos